DEPARTAMENTO DE POLÍTICAS DO ENSINO SUPERIOR

COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS ENSINO

 

PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES

Sistematizada pela Comissão de Especialistas de Ensino de Artes Visuais da SESu/MEC

 

Curso: Artes Visuais / Bacharelado e Licenciatura

PERFIL DO EGRESSO:

  1. Os cursos de Artes Visuais devem formar profissionais habilitados para a produção, a pesquisa, a crítica e o ensino das Artes Visuais.

2. A formação desses profissionais deve ser voltada para o desenvolvimento da percepção, da reflexão e do potencial criativo, dentro da especificidade do pensamento visual.

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES:

A arte é simultaneamente uma atividade humana e uma esfera de conhecimento, de modo que a inter-relação entre habilitação ou formação profissional e área de conhecimento, no caso da arte, é intrínseca.

O bacharelado fomenta a arte autônoma, ou seja, a formação do artista profissional, com autonomia para o contínuo desenvolvimento de seu potencial criativo, de seu conhecimento e habilidades específicas nas linguagens visuais.

A licenciatura fomenta as relações entre Arte e Educação, buscando a formação do professor de Artes Visuais, voltado para o ensino fundamental e médio. Espera-se ainda que, através da aquisição de conhecimentos específicos de metodologias de ensino na área, o licenciando acione um processo multiplicador ao exercício da sensibilidade artística.

Além de artista/pesquisador, preparado para atuar no circuito da produção artística profissional e na formação qualificada de outros artistas, o bacharel em Artes Visuais tem a possibilidade de atuar em áreas correlatas, onde se requer o potencial criativo e técnico específicos. Da mesma forma, o licenciando pode desempenhar papéis na diversificadas atividades para-artísticas.

TÓPICOS DE ESTUDOS/CONTEÚDOS BÁSICOS

Os conteúdos básicos devem fornecer ao aluno conhecimentos de fundamentação teórico-práticas baseadas na experimentação e na reflexão. Essa fase deve contemplar processos de criação, produção e uso de materiais inerentes às linguagens artísticas, com a finalidade de criar um referencial de base para escolhas e aprofundamentos futuros. Deve contemplar ainda o embasamento teórico e reflexivo sobre arte antiga e contemporânea numa perspectiva interdisciplinar, com a finalidade de dar ao aluno uma visão ampliada do fenômeno da arte, seus desdobramentos e sua importância enquanto forma de conhecimentos da experiência humana.

Os conteúdos básicos devem-se caracterizar pelas noções práticas próprias à experimentação artística, associadas às abordagens teóricas da iniciação. As disciplinas teóricas devem abordar temas de reflexão sobre a produção artística regional, nacional e internacional, assim como teoria e história da arte do período antigo à contemporaneidade.

TÓPICOS DE ESTUDO/CONTEÚDOS ESPECÍFICOS

Além das disciplinas específicas da prática e da reflexão artística, parece clara a necessidade de interação com outras áreas do conhecimento, como filosofia, a estética, a sociologia, a comunicação e as teorias do conhecimento.

No caso da licenciatura, deve-se acrescentar disciplinas da área psico-pedagógica.

A estrutura curricular tanto do bacharelado quanto da licenciatura em Artes Visuais deve obedecer a um sistema semi-seriado, composto de disciplinas obrigatórias seletivas, optativas e/ou de módulo livre.

O fluxograma tem três níveis de aprofundamento: o básico, o desenvolvimento e aprofundamento propriamente dito.

O nível básico fornece ao aluno os conhecimentos de fundamentação teórico-práticos, através de um elenco de disciplinas ao qual se recorre para cumprir os tópicos básicos obrigatórios.

No nível de desenvolvimento, o aluno é conduzido a interagir com outras áreas de conhecimento, com o objetivo de fazer emergir e amadurecer sua linguagem pessoal. Nesse nível, o aluno poderá compor o seu currículo entre as disciplinas obrigatórias seletivas, optativas ou de módulo livre. Deverá dar-lhe suporte nesta fase disciplinar que o orientam na elaboração e execução de seus projetos.

No nível de aprofundamento os alunos têm a oportunidade de desenvolver o seu trabalho sob orientação de um professor, buscando vínculos de qualificação técnica e conceitual compatíveis com a realidade mais ampla do contexto da arte. Nessa fase, o aluno deve ter o apoio das disciplinas obrigatórias seletivas, optativas e de módulo livre, sobretudo desse último, por suas características de caráter profissionalmente.

Para sua diplomação, o bacharel em Artes Visuais deve, além de ter cumprido os créditos regulamentares: a) apresentar uma reflexão escrita sobre o processo de desenvolvimento de um trabalho; b) fazer uma exposição individual ou coletiva, em espaço público; e c) submeter o resultado dos trabalhos a uma banca de professores e profissionais da área, organizada e convidada pelo professor orientador.

Para sua diplomação, o licenciando em Artes Visuais deve, além de ter cumprido os créditos regulamentares: a) apresentar uma monografia sobre um tema das Artes Visuais; b) elaborar um projeto de curso a ser ministrado sobre esse tema; e c) submeter o resultado a uma banca de professores e profissionais da área, organizada e convidada pelo professor orientador.

DURAÇÃO DO CURSO

O tempo de conclusão do curso de Artes Visuais, tanto do bacharelado quanto da licenciatura, deve ser fixado preferencialmente em semestres, considerando a necessidade de maturação dos alunos diante dos conhecimentos adquiridos.

Recomenda-se que o curso de Artes Visuais, tanto o bacharelado quanto a licenciatura, o total de 2700 horas/aula, a serem integralizadas em, no mínimo, 8 semestres e, no máximo, em 12 semestres.

Além destas considerações específicas para a área de Artes Visuais, segue abaixo o texto com as considerações de aspectos gerais concernentes às Diretrizes Curriculares para orientar as IES

ESTÁGIOS E ATIVIDADES COMPLEMENTARES (ARTICULAÇÃO TEORIA-PRÁTICA)

Pode haver três níveis de Estágio :

1. Instrumento de integração e conhecimento do aluno com a realidade social, econômica e do trabalho de sua área/curso.

2. Instrumento de iniciação à pesquisa e ao ensino ("aprender a ensinar")

3. Instrumento de iniciação profissional

Onde :

1. Iniciado no primeiro ano do curso e acompanhado pela coordenação docente de forma integrada às organizações profissionais, sociais, sindicais (estágio como "mapeamento" da realidade). Deve motivar o aluno a construir sua grade curricular específica e a optar pelos cursos seqüenciais afins.

2. Iniciado a partir do segundo ano e deve auxiliar o aluno a optar pelo currículo específico de pesquisa e ensino. Está notadamente integrado às bolsas de iniciação científica (seguir carreira de pesquisador). Sua continuidade depende dessa opção, ou seja, a partir do terceiro ano esse estágio só prossegue para alunos que optaram pela organização curricular de pesquisa e ensino. A partir do 3º ano os alunos poderão disputar as bolsas de pesquisa e ensino (para o 1º, 2º ou 3º graus)

3. Início no segundo ano do curso, continuando no 3º ano para aqueles alunos que optarem por uma organização curricular aplicada ao exercício profissional.

 RECONHECIMENTO DE HABILIDADES E COMPETÊNCIAS EXTRA-ESCOLARES

ESTUDOS INDEPENDENTES: as IES deverão criar mecanismos de aproveitamento de conhecimentos, adquiridos pelo estudante, através de estudos e práticas independentes, presenciais e/ou à distância, desde que atendido o prazo mínimo, estabelecido pela instituição, para a conclusão do curso.

Podem ser reconhecidos :

Monitorias e estágios;

Programas de iniciação científica;

Estudos complementares;

Cursos realizados em outras áreas afins;

Integração com cursos sequenciais correlatos à área.

ESTRUTURA GERAL DO CURSO

A estrutura de oferta do curso pela IES pode ser híbrida, onde, além de seriada anual, pode haver :

Seriada semestral, aproveitamento de créditos e pré-requisitos, ou módulos.(pacotes fechados)

Os módulos podem ser : Módulo básico

Módulo específico

Módulo seqüencial

Deve haver, no entanto, uma preocupação em definir, no início do curso, o período e a organização do básico.

Características :

A) Módulo Seqüencial : essencialmente como um módulo à parte do curso;

B) Módulo Específico : pode ser módulo fechado ou organizado por créditos;

C) Módulo Básico : módulos ou créditos